Notícias

24/05/2016

Finanças


Um casal americano, do estado de Massachutes, decidiu compartilhar em um blog sua jornada em busca da independência financeira e da realização de um sonho em comum: poupar. Para isso, eles restruturaram suas finanças e reduziram seus gastos, passando a viver de modo “econômico”, como eles definem. A seguir, relacionamos os principais aprendizados do casal que podem servir como exemplo para quem deseja alcançar uma nova vida financeira.  

1. Examine cada item do orçamento
Antes de estipular um valor a ser poupado, é preciso saber exatamente em que se está gastando. Portanto, faça esse exercício. Escreva os gastos e identifique tudo o que não é estritamente uma necessidade.

2. Identificar as prioridades
Ao invés de aderir a um orçamento restrito, gaste em serviço das suas prioridades e metas, que devem ser definidas. Dessa forma, você não vai precisar ficar contando dinheiro e passará a viver a forma econômica em piloto automático.

3. Faça você mesmo
Segundo o casal, esse foi o ponto crucial para a economia. Eles passaram a evitar as despesas associadas com o pagamento de outras pessoas. “Isso nos permitiu aprender novas habilidades” – eles afirmam. Isso significa que passaram a fazer de tudo, desde corte de cabelo, até serviços de limpeza e reparos em sua casa.

Para eles, mais importante do que o valor economizado, foi a nova a mentalidade que eles adquiriam nessa jornada. “Nós descobrimos um número incrível de benefícios associados à economia”. Eles descobriam que, além de poupar dinheiro, viver em modo econômico oferece:

Opções
Uma vez que se tem dinheiro guardado, emergências que surgem, como conserto da geladeira ou reparo do carro, são inconvenientes, mas não uma crise financeira.  Além disso, viver economicamente significa que você tem a liberdade financeira para assumir riscos, sair de um emprego, viajar pelo mundo, ou qualquer outro sonho.

Reduz o desperdício
Viver de modo econômico permite adotar, de fato, um consumo consciente, com hábitos como: comprar itens de segunda mão, usar mais vezes a mesma roupa, ao invés de descartá-la, consertar o que tiver quebrado e não simplesmente jogar fora.

Promove a criatividade
Quando você não toma o caminho mais fácil, que é o de pagar por tudo, isso lhe permite estimular a criatividade e ser mais caprichoso, como ao retocar aquela comoda velha do quarto.

Traz paz
Para o casal, essa é a maior recompensa. “Por não me preocupar em possuir as coisas melhores e mais recentes, sou capaz de me concentrar no que realmente importa e ignorar as distrações da mídia e as propagandas. Graças a esse modo, eu e minha família passamos a ter muito mais tempo juntos e todos colaboraram em praticamente tudo”.